prestação de contas do último protesto

fevereiro 23, 2014

No ultimo dia 18/02 (Terça- Feira) estudantes do Gama, mesmo debaixo de chuva, foram às ruas da cidade lutar por uma educação de qualidade. Exigimos o repasse da verba referente ao PDAF (Programa de Descentralização Administrativa e Financeira) de 2013.

Depois do protesto foi recebida uma comissão de negociação contendo representantes de todos os colégios, da UMES-Gama e da UBES. Nessa comissão os estudantes exigiram do José Antonio diretor da CRE-GAMA respostas concretas para todos os problemas que afligem nossas escolas.

Com relação ao PDAF referente ao ano de 2013, O diretor da CRE respondeu que não pode repassar uma verba do ano anterior, pois a lei orçamentária anual não pode sofrer alterações do tipo, Coberturas de quadras todos os colégios com exceção do CEM 01 e CEM 02 estão na previsão para a cobertura e reformas das quadras.

1924903_639767216059728_175401822_n

O buraco que existe entre o cem 03 e CEF 15 será construída uma rua urbanizada, No lugar das antigas quadras do CEF 15 vai ser construída uma creche de tempo integral, As reformas estruturais (Banheiro, ventiladores, salas) é responsabilidade das escolas e isso é feito com a verba do PDAF, que não é repassada desde 2012.

Sobre os professores o José Antonio afirma que não esta faltando professores nas escolas mais não é isso que os estudantes observam no dia a dia, segundo a direção do CEM 02 faltam cerca de 20 professores no quadro total da escola, Os auditórios de todas as escolas serão reformados nas seguintes prioridades CEM 01, CEM 03 e CEM 02.

O lanche segundo ele o CEM 01 tinha condições de fazer o lanche de condução (arroz, feijão, carne, etc.), mas abriu mão. Optou por realizar o lanche rápido (biscoito, leite, suco). O CEM 03 receberá material para fazer lanche de condução. A cozinha passará por reformas. As demais escolas não possuem estrutura para fazer o lanche de condução. E passarão por reformas nas cantinas em breve.

1902968_639766989393084_990119356_n

Nós estudantes não aceitamos o tamanho descaso no qual o governo Agnelo trata a educação, Então voltaremos às ruas em breve com mais força com todas as escolas do distrito federal em frente ao buriti para exigir que a verba do PDAF 2013 seja repassada as nossas escolas.

não á semestralidade

janeiro 10, 2014

No ano de 2013 vimos um projeto da Secretaria de Educação ser implantada de maneira arbitrária: o Projeto Currículo em Movimento da Educação Básica (Semestralidade). E não mais que isso, não houve diálogo algum tanto com os professores quanto alunos e pais. Governo este que havia prometido atenção À Educação.

A UMES diante dessa afronta à Educação se posicionou duramente contra, realizando manifestações, passeatas e paralisações na exigência de um tratamento que verdadeiramente viesse a melhorara o sistema educacional que possuímos. E ao final de 2013 muitos estudantes perceberam que a Semestralidade verdadeiramente só prejudica a qualidade da Educação.

A Secretaria de Educação no intuito de tentar minimizar os atritos e enganar os estudantes lançou várias conferências (lugar de debate onde nada é definido, por não ser deliberativo) no intuito de convencer a comunidade escolar dos benefícios da Semestralidade. Realizamos um ato durante a conferência no Gama que contou com mais de 300 estudantes.

Fica claro que nesse ano a luta irá continuar para que venhamos fazer cair esse projeto que só visa maquiar dados e desvalorizar a nossa Educação. Precisamos de investimentos massivos, onde tenhamos laboratórios, professores bem remunerados, aulas práticas ao invés das aulas que só tem teoria. Queremos mais e por isso não abaixaremos a cabeça para essa afronta do Governo.

A comunidade do Gama já deu sua voz e mostrou que é contra isso, e se o Agnelo não nos ouvir, com toda certeza iremos às ruas, lutaremos ferrenhamente para derrubar isso. Queremos uma educação com qualidade e não maquiada para criar uma mentira que um Governo quer por para nós alunos e professores. Educação de qualidade se faz com investimentos!

ato feito no cem 01 com cerca de 300 estudantes onde o grêmio do cem 02 participou.

Não devemos pagar para entrar em uma escola publica!

abril 15, 2013

Não devemos pagar para entrar em uma escola publica! O processo da cobrança de taxas para a entrada no CEM 2 do gama é totalmente irregular, indo contra o regimento interno e as normas da própria secretaria de educação.

Estudantes manifestam contra proibição da entrada no 2° horário no CEM 03- Gama

junho 28, 2012

O Centro de Ensino Médio 03 do Gama, sentiu o poder da objetividade dos estudantes, após uma manifestação contando com a presença de 80 estudantes que lutaram contra a proibição arbitrária da entrada no segundo horário na escola aqui citada.
A atitude prejudica uma grande parcela de estudantes que moram no entorno e dependem de meios de locomoção precários que não possuem uma boa infra-estrutura para ir a suas escolas. Juntamente ao ato, militantes da Juventude Revolução e diretores da UMES-Gama  organizaram um abaixo assinado que obteve mais de 90% de aceitação pelos estudantes.

Foi tirada uma comissão de 4 estudantes-Matheus Rocha (UMES- Gama), Isadora Vasconcelos (Juventude Revolução), Victor Carvalho (UMES-Gama) e Quemuel Vital (estudante do CEM 03)- que cobraram fortemente da direção, a entrada dos estudantes no 2° horário, porém ficou firmado que iriam entrar apenas os estudantes que dessem justificativa.

Mas, após uma semana, a equipe que participou da negociação recebeu inúmeras reclamações e denúncias de maus tratos e irregularidades e rupturas no acordo selado pela direção com os secundaristas. Devido a isso, estudantes começam a organizar o grêmio na tentativa de mudar essas atitudes arbitrárias que ao invés de beneficiar os estudantes do Gama e entorno, automaticamente prejudica todo um grupo de estudantes que enfrentam dificuldades para comparecer no 1° horário.

Veja os vídeos no Blog da UMES do Gama:

http://umesgama.blogspot.com.br/2012/06/estudantes-manifestam-contra-proibicao.html

ESTUDANTES DO GAMA APOIAM GREVE DOS PROFESSORES DO DF

março 13, 2012


Professores firmaram acordo com o Governador Agnelo em Abril de 2011. O Governador está se negando a cumprir o acordo desrespeitando os professores e a educação que merece respeito.
No dia 8 de março em assembleia com mais de 12 mil presentes, professores deflagraram greve.
Preocupados com a valorização do salário dos professores, que é o mais baixo no serviço público, dentre as carreiras de ensino superior, a UMES GAMA declara apoio irrestrito à pauta apresentada pelo Sinpro-DF ao governador.
Aprendemos com nossos professores que acordo é para ser cumprido!
Desde já nos colocamos a disposição dos professores e nos encontramos nos piquetes aos quais nos dispomos organizar ombro a ombro para garantir 100% de adesão dos professores de todas as escolas do DF e fazer com que o Governador Agnelo cumpra seu acordo!

UMES GAMA

Professores entram em greve hoje!

março 8, 2012

07/03/2012 – 20h42

Em uma assembleia lotada (segundo a PM, mais de 12 mil pessoas estavam na Praça do Buriti) as professoras e os professores do DF decidiram entrar em greve por tempo indeterminado a partir do dia 12 de março, para lutar pelo cumprimento do acordo e contra o descaso do GDF com a Educação e os educadores. Todas as propostas de mobilização sugeridas pela diretoria foram aprovadas.  Agora é hora de cada um de nós assumir a responsabilidade de tornar vitorioso o nosso movimento, participando dos piquetes de conscientização e das atividades convocadas pelo Sindicato. Confira aqui, no Edição Extra, todas as propostas que foram aprovadas para mobilização da categoria.

http://www.sinprodf.org.br/todos-as-a-assembleia-nesta-quinta-8-de-marco/

Dirigentes de entidades estudantis e organizações políticas se reúnem com o Sinpro-DF

março 8, 2012

Estudantes vão às ruas do Gama e apoiam possível greve dos professores

março 8, 2012

Estudantes vão às ruas do Gama por suas reivindicações e apoiam luta dos professores do DF.

março 7, 2012

No dia 07 março de 2012, no período matutino, quase 1.500 estudantes de 06 escolas do Gama se mobilizaram para uma grande passeata. Esta foi impulsionada pela UMES do Gama fundada ano passado (2011) com delegados de 07 escolas diferentes.

A passeata apresentava pauta de reivindicação dos estudantes: Cobertura imediata das quadras de esporte das escolas, refeições saudáveis e de qualidade, passe livre ilimitado e irrestrito, reformas estruturais urgentes, fim da cobrança de taxas nas escolas públicas, mais vagas nas universidades públicas incluindo a construção da Universidade Distrital, e atendimento imediato a pauta de reivindicações dos professores.

O Governador Agnelo não cumpriu acordo de abril do ano passado com os professores e o Diretor da Regional de Ensino do Gama também tem enrolado os estudantes. Os estudantes marcharam abalando a cidade com carro de som partindo da Administração do Gama até a DRE para negociar com o Diretor José Antônio, chegando lá foi tirada uma comissão de negociação com o Diretor que não foi nada produtiva, como no ano passado eles alegaram não poder fazer nada, o recado está dado! Os estudantes não vão mais aceitar esse descaso com a educação e continuarão se mobilizando.

Amanhã estaremos junto aos professores em sua assembleia para apoiar a luta dos professores que podem entrar em greve.

UMES GAMA

Estudantes do Gama voltam às ruas por melhorias nas escolas

março 6, 2012


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.